Rolim de Moura - RO
00:00
Rondônia

Maurão de Carvalho e Adelino Follador concedem entrevista à rádio Verde Amazônia, em Ariquemes...

Fonte: Da Assessoria para o Rolnews

21/03/2016 11h 26min

  • Compartilhe Essa notícia
  • Compartilhar no Facebook00
  • Compartilhar no Google Plus00
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
Maurão de Carvalho e Adelino Follador concedem entrevista à rádio Verde Amazônia, em Ariquemes...

Durante entrevista na manhã deste sábado (19), à rádio Verde Amazônia, em Ariquemes, o presidente da Assembleia Legislativa, Maurão de Carvalho (PMDB) e o deputado estadual Adelino Follador (DEM), asseguraram que a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI), instalada na Assembleia para apurar a suposta formação de cartel pelos frigoríficos, não vai retroceder.

“Baixaram o preço da carne para o produtor, mas para o consumidor, a carne continua com preço alto nos açougues e mercados. A arroba do boi em Rondônia nunca esteve tão baixa, o que prejudica a nossa economia”, disse Maurão.

Para o presidente, “a Assembleia discutiu essa crise com os criadores, propusemos a baixa da pauta do boi em pé, para venda fora de Rondônia, e instalamos a CPI para apurar a possível formação de cartel pelos frigoríficos”.

Maurão avaliou que a concessão de incentivos fiscais aos frigoríficos, pelo Governo, precisa ser revista. “O incentivo seria para gerar emprego, garantir mercados para o nosso produto, entre outros benefícios. O que não está ocorrendo, pelo contrário”.

O deputado Adelino acrescentou que, nos últimos meses, a venda de gado em pé, principalmente para São Paulo, tem mostrado que o criador vender seu gado em Rondônia está sendo um mal negócio.

“Levando um bezerro para São Paulo e pagando todas as taxas e impostos, ainda assim o lucro é superior a R$ 100 por cabeça, se comparado ao preço praticado em Rondônia. A CPI está apurando essa suposta formação de cartel, com o fechamento de plantas frigoríficas e a prática de preços combinados, prejudicando os criadores e a economia do Estado”, completou.

Follador denunciou que a maior parte das mais de 120 mil propriedades de Rondônia é formada por pequenos produtores. “É quem tem poucas cabeças para criar, vender e sustentar suas famílias. São esses que mais estão sofrendo com essa ação prejudicial dos frigoríficos”.

Adelino garantiu que os membros da CPI estão empenhados em apurar a real situação da cadeia da carne. “Não podemos recuar. Não se trata de uma ação partidária, mas sim de um posicionamento em defesa dos criadores e do nosso rebanho, que é responsável por gerar empregos e pela maior fatia da exportação de Rondônia”.

O presidente relatou ainda que a Assembleia vive hoje um clima de calmaria institucional, com uma boa relação entre os poderes e instituições. “Temos trabalhado para ampliar essa boa relação com todos os segmentos, sempre buscando o diálogo e a aproximação com a sociedade”.

Quer ficar conectado com o Rolnews em seu WhatsApp?
Entre agora em nosso grupo e fique bem informado.
Clique aqui para entrar no grupo.

MAIS NOTÍCIAS DE POLÍTICA