Rolim de Moura - RO
00:00
Rondônia

Voluntários do Hospital de Amor recebem Moção de Aplauso da Câmara em Cerejeiras; primeiro leilão de Rondônia foi em Vilhena

Fonte: DO FOLHA DO SUL ONLINE

11/09/2019 11h 39min

  • Compartilhe Essa notícia
  • Compartilhar no Facebook00
  • Compartilhar no Google Plus00
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
Voluntários do Hospital de Amor recebem Moção de Aplauso da Câmara em Cerejeiras; primeiro leilão de Rondônia foi em Vilhena

Todos os anos, um grupo de voluntários da campanha de arrecadação de recursos em prol do mais hospital de câncer da América Latina faz um trabalho elogiado em Cerejeiras. Nesta reportagem, o FOLHA DO SUL ONLINE conta esta história, que já dura mais de 15 anos.

A história dos voluntários do Hospital de Amor começou quando um fazendeiro do interior do Estado de São Paulo foi curado de câncer no então chamado Hospital de Câncer de Barretos.

Na época, por gratidão ao tratamento recebido, o fazendeiro fez um leilão de gado e arrecadou recursos para a instituição que lhe salvou a vida. Depois, estes eventos leiloeiros passaram a ser chamados de Leilão Direito de Viver.

De lá para cá, a cada dia foram sendo acrescentados novos voluntários ao leilão, que também passou a leiloar carneiro, porco e outros bens, todos doados.

Em Rondônia, os leilões começaram a ser realizados também há quase 20 anos.

O primeiro município de Rondônia a fazer o leilão foi Vilhena, em 2003, realizado em parceria com voluntários de Colorado do Oeste. Atualmente, há 2 mil voluntários em Rondônia, em praticamente todos os municípios do Estado.

Há 15 anos, no ano de 2004, o então contador Airton Gomes e sua esposa Jandira Gomes reuniram o primeiro grupo de voluntários e realizaram o primeiro Leilão e Direito de Viver em Cerejeiras. Oito anos depois, Airton era eleito prefeito do município.

A cada ano, os leilões foram sendo realizados em Cerejeiras e novos voluntários foram sendo adicionados à causa.

No presente momento, são cerca de 50 voluntários de Cerejeiras que trabalham em prol do direito de as pessoas com câncer receberem um tratamento digno. O coordenador do Leilão Direito de Viver continua sendo o contador Airton Gomes, que não deixou de ser voluntários nem nos momentos mais ocupados da vida dele, como nos cinco anos que exerceu o cargo de prefeito, de janeiro de 2013 a novembro de 2018.

Atualmente, todos os recursos arrecadados são destinados ao Hospital de Amor da Amazônia, localizado em Porto Velho e inaugurado em 2017, que é o maior centro de referência no tratamento de câncer do Norte do Brasil. Todo o tratamento feito no Hospital de Amor é gratuito.

Um grupo de agentes de saúde do município de Cerejeiras também atua como voluntários do Hospital de Amor da Amazônia. Alguns meses antes da realização do Leilão Direito de Viver, os agentes de saúde passam nas casas das pessoas na zona rural e anotam as doações feitas por cada família. Depois, os voluntários apenas pegam a lista e passam nas residências rurais recolhendo as doações, como porco, galinha, gado, carneiro, dentre outras doações. Lembrando que este trabalho feito pelos agentes de saúde é voluntário, pois eles não são obrigados a fazer esta pesquisa.

Comerciantes também apoiam esta causa, com a doação de brindes e com a realização de rifas em prol do Hospital de Amor da Amazônia.

Todos os anos, a equipe de voluntários começa a trabalhar três meses antes do Leilão Direito de Viver. A iniciativa também recebe ajuda de outras instituições, como a Igreja Católica e o Lions Club.

A cada ano a arrecadação do Leilão Direito de Viver é histórica, passando de R$ 200 mil em todas as edições.

Neste ano, o evento foi realizado no dia 1º de setembro e o valor arrecadado ainda não foi calculado pelos voluntários.

Este trabalho é de imensa importância para Cerejeiras. Todos os anos, pacientes do município procuram o Hospital de Amor da Amazônia para tratamento. A nenhum paciente é negado o tratamento.

 

MAIS NOTÍCIAS DE GERAL