Rolim de Moura - RO
00:00
Rondônia

Recusa por parte da família impede maior número de procedimentos de captação de órgãos em Cacoal

Fonte: Da Assessoria para o Rolnews

16/12/2015 22h 40min

  • Compartilhe Essa notícia
  • Compartilhar no Facebook00
  • Compartilhar no Google Plus00
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
Recusa por parte da família impede maior número de procedimentos de captação de órgãos em Cacoal

Em 2011, teve início em Rondônia a captação de órgãos para doação. Desde então, 37 captações foram feitas, entre rins e córneas. Em maio de 2014, mais um grande avanço. Foi realizado em Porto Velho o primeiro transplante de de rins no estado. Até agora, 24 transplantes foram feitos em Rondônia, sendo que desses, seis foram intervivos – quando o doador está vivo e saudável.

A maior parte das doações é feita por pacientes que têm o diagnóstico de morte encefálica (ME) comprovado. É nesse momento de dor que familiares precisam tomar a decisão de doar ou não. Em Cacoal, o serviço de captação de órgãos teve início em setembro de 2013. Dos 19 pacientes com ME comprovados desde então, houve 12 recusas por parte da família e apenas sete doações foram feitas.

Segundo a fisioterapeuta Leiri Bonet, membro da Comissão Intra-Hospitalar de Doação de Órgãos e Tecidos (CIHDOT) de Cacoal, questionados sobre o motivo pelo qual não aprovaram a doação de órgãos, os familiares alegam porque em vida o paciente não manifestou o desejo de ser doador. “Em mais da metade dos casos no Hospital Regional de Cacoal os familiares se recusam a doar os órgãos porque o paciente nunca havia falado nada sobre o assunto. Por isso as campanhas que incentivam o cidadão a manifestar o seu desejo de ser doador, para que se algo aconteça, a família já esteja mais preparada para tomar essa decisão”.

Nessa terça-feira (15), uma nova cirurgia de captação de órgãos foi feita no HRC, a primeira do ano. Foram captados os rins de um paciente que teve a morte encefálica comprovada. Para que esse diagnóstico fosse comprovado, foram feitos dois testes clínicos e um teste por imagem, o exame Dopler. A princípio, as córneas também seriam captadas, mas durante os exames foram constadas lesões, inviabilizando a captação.

Durante todo o ano de 2014, cinco captações foram realizadas, o que mostra que a queda do número de doações foi significativa em comparação a 2015.

No estado, além de Porto Velho e Cacoal, os municípios de Ji-Paraná e Vilhena também fazem a captação de órgãos, que são destinados, no primeiro momento, para pacientes que estão na lista de espera no estado. Não havendo compatilibidade, verifica-se a lista nacional, tendo prioridade os estados que estão na fila primeiro.

Quer ficar conectado com o Rolnews em seu WhatsApp?
Entre agora em nosso grupo e fique bem informado.
Clique aqui para entrar no grupo.

MAIS NOTÍCIAS DE GERAL

CONTEÚDOS DIVERSOS