Rolim de Moura - RO
00:00
Rondônia

Municípios de Rondônia vão receber recursos federais para ações de combate ao Aedes aegypti

Fonte: Da Assessoria para o Rolnews

03/02/2016 17h 28min

  • Compartilhe Essa notícia
  • Compartilhar no Facebook00
  • Compartilhar no Google Plus00
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
Municípios de Rondônia vão receber recursos federais para ações de combate ao Aedes aegypti

Nesta quinta-feira (4), o governador Confúcio Moura assinará o decreto de situação de emergência em Rondônia para agilizar o trâmite dos recursos que as 52 prefeituras receberão do Ministério da Saúde (MS) para implementar ações contingenciais de vigilância, prevenção e controle de epidemias, e de combate ao mosquito Aedes aegypti.

Para a liberação dos recursos, o MS considerou a introdução da febre chikungunya no Brasil, com transmissão comprovada em alguns municípios, e o risco iminente de expansão do vírus, transmitido pelo Aedes aegypti, o mesmo da dengue, amplamente distribuídos no País, com toda a população susceptível, foi levado em conta a recente introdução do vírus zika e sua rápida dispersão para todas as regiões do País, o que tem provocado epidemias importantes acompanhadas de graves manifestações neurológicas, como a síndrome de Guillan Barré e o surto de malformações congênitas com microcefalias em bebês.

Dados da sala de situação, montada pelo governo estadual para controlar as ações dos municípios no combate ao mosquito, revelam que 16 cidades já cumpriram a meta de visitação de 100% de residências: São Francisco do Guaporé, Nova Brasilândia do Oeste, Governador Jorge Teixeira, São Felipe do Oeste, Chupinguaia, Alta Floresta do Oeste, Alto Alegre dos Parecis, Cabixi, Cacoal, Cujubim, Mirante da Serra, Parecis, Pimenta Bueno, Primavera de Rondônia, Santa Luzia do Oeste e Teixeirópolis.

Conforme o comandante do Corpo de Bombeiros Militar, coronel Silvio Luiz Rodrigues, já foram visitados 53.7% dos imóveis no estado. “Estamos acima da média nacional, que está em torno de 32%, dados dessa quarta-feira”, acrescentou.

MAIS NOTÍCIAS DE POLÍTICA