Rolim de Moura - RO
00:00
Rondônia

Ícone dos anos 80, Kátia se recupera há três anos de depressão

Fonte: DO EXTRA

30/09/2020 08h 37min

  • Compartilhe Essa notícia
  • Compartilhar no Facebook00
  • Compartilhar no Google Plus00
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
Ícone dos anos 80, Kátia se recupera há três anos de depressão
Reprodução

Ela chegou a ter mais de um milhão de cópias vendidas de seu álbum de estreia, com a música “Lembranças’’, composição que foi presente de Roberto Carlos. Também já ficou mais de seis meses em primeiro lugar na parada de sucessos na década de 1980. Com esse currículo, a cantora Kátia, musa de canções como a icônica “Qualquer jeito”, do verso “Não está sendo fácil’’, parece até não ter do que reclamar. Só parece. Afastada dos palcos desde 2017, após desenvolver uma depressão impulsionada pela morte da mãe, a artista ainda vem se recuperando durante a pandemia. Ela retorna ao bordão de sua mais famosa música ao avaliar que a situação do Brasil durante a quarentena não está nada fácil de ser resolvida.

Kátia costumava viajar de duas a três vezes por mês para cumprir sua agenda de shows. Mas com a perda da matriarca da família, a cantora não conseguiu encontrar forças para subir aos palcos ou compor novos sucessos. Os sinais de recuperação, no entanto, vieram no início deste ano. Mas quando ela já estudava lançar novos projetos, o coronovírus chegou.

                            Ícone dos anos 80, Kátia se recupera há três anos de depressão

A musa mora no Rio de Janeiro com pai, de 83 anos, mas decidiu passar o período de isolamento no interior de São Paulo por causa de uma viagem que foi estendida por conta da pandemia. Para ela, não era prudente insistir na ponte aérea neste momento. E foi nesse meio tempo que a cantora foi convidada para apresentar dois programas numa rádio web paulista: o “Roberto Carlos entre amigos”, em homenagem ao Rei, e um outro de música, “Love songs — o amor em todos os ritmos”.

— Fiz um estúdio de rádio com todos os equipamentos necessários, toda a estrutura. Ainda está muito no começo, é uma coisa meio descompromissada, mas está sendo um projeto bem bacana de tocar — conta a artista.

Com essa experiência inédita, Kátia pode dizer que já experimentou os dois lados da moeda. Se no presente ela apresenta músicas de outras pessoas, no passado as emissoras de rádio é que se curvavam diante de seus sucessos. A cantora enfatiza que “Não está sendo fácil” é “o bordão do nosso país’’, criticando atitudes tomadas no Brasil durante essa crise em todo o mundo:

— Não está sendo fácil mesmo! Principalmente, saber o que vai acontecer depois disso. O país está sofrendo muito, e tem gente que não está encarando a situação com seriedade.

                             Ícone dos anos 80, Kátia se recupera há três anos de depressão

— Foram tempos difíceis. Eu fiquei muito deprimida e recusei alguns trabalhos, não tinha mais coragem de cantar, de compor, de fazer nada. Isso já faz três anos, mas durou até recentemente. Sigo em tratamento da depressão, ainda não posso dizer que estou maravilhosa, mas já melhorei bastante — explica a cantora de 58 anos, que pretende se dedicar mais à carreira de compositora daqui para frente.

                                      Ícone dos anos 80, Kátia se recupera há três anos de depressão

Uma certeza que Kátia carrega, por sua vez, é que seu padrinho musical Roberto Carlos, com quem ela mantém contato até hoje, nunca vai perder a majestade em sua vida. Mas ela revela ter virado uma superfã da sertaneja Marília Mendonça:

— Quando tudo isso acabar, vou num show dela.

 

Quer ficar conectado com o Rolnews em seu WhatsApp?
Entre agora em nosso grupo e fique bem informado.
Clique aqui para entrar no grupo.

MAIS NOTÍCIAS DE CULTURA

CONTEÚDOS DIVERSOS