Rolim de Moura - RO
00:00
Rondônia

Durante período de estiagem, incêndios continuam castigando Vilhena e Chupinguaia; polícia é acionada nas duas cidades

Fonte: DO FOLHA DO SUL ONLINE

13/08/2019 10h 01min

  • Compartilhe Essa notícia
  • Compartilhar no Facebook00
  • Compartilhar no Google Plus00
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
Durante período de estiagem, incêndios continuam castigando Vilhena e Chupinguaia; polícia é acionada nas duas cidades

Durante a manhã e tarde da segunda-feira, 12, cinco pessoas donas de propriedades rurais em Vilhena denunciaram um incêndio que atingiu a área onde moram e causou devastação até mesmo em reservas ambientais. Os prejuízos já se tornaram reportagens, e os trabalhadores rurais procuram a Unidade Integrada de Segurança Pública (Unisp) para registrar os estragos.

No primeiro caso, um agricultor de 58 anos registrou que, no início da manhã de segunda-feira, 12, um incêndio começou nos fundos de seu sítio, e que logo queimou toda a vegetação, inclusive uma área de preservação ambiental. O Corpo de Bombeiros esteve no local para tentar apagar as chamas.

Às 11 horas da manhã, uma segunda agricultora, moradora da mesma região, registrou na Unisp que as chamas chegaram a sua propriedade rural, na Linha 135, Kapa 140, do Assentamento Águas Claras. Os bombeiros controlaram as chamas, que além da cerca, destruíram também um alqueire de vegetação.

Na mesma Linha, outra propriedade foi atingida pelo fogo. A agricultora de 57 anos relatou na Unisp que o incêndio começou em uma associação nas proximidades de sua chácara, também na Linha 135, e queimou quase toda a vegetação, mas conseguiu apagar. Por estar atendendo outras ocorrências, o Corpo de Bombeiros não pôde ir ao local.

Ainda na Linha 135, seis alqueires de pasto e quatro de reservas foram consumidos pelas chamas que tomaram conta do local. Além disso, mais 650 metros do sítio do denunciante foram destruídos pelo fogo, até mesmo um pomar. O dono do local disse que o incêndio começou na Linha 144, na Associação Águas Claras.

As chamas atingiram também uma fazenda, onde dez alqueires de terra e 600 metros de cerca foram destruídos. Mesmo com a ajuda de caminhões pipa, a devastação não foi contida.


CHUPINGUAIA EM CHAMAS
Na cidade de Chupinguaia, as queimadas também estão causando transtornos e prejuízos. Ontem, por exemplo, uma grande área de terras nas proximidades da zona urbana, foi tomada pelas chamas. Como a cidade não dispõe de um Grupamento de Bombeiros, coube a voluntários e servidores municipais tentar debelar as labaredas.

Lá, uma moradora, cuja neta estuda numa creche atingida pela fumaça, procurou a Polícia Militar, tentando responsabilizar os causadores do incêndio.

 

MAIS NOTÍCIAS DE POLICIAL