Rolim de Moura - RO
00:00
Rondônia

Covid-19: Cerca de 70% dos leitos estão ocupados em Rondônia

Fonte: DO G1 RO

22/05/2020 18h 14min

  • Compartilhe Essa notícia
  • Compartilhar no Facebook00
  • Compartilhar no Google Plus00
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
Covid-19: Cerca de 70% dos leitos estão ocupados em Rondônia

Rondônia tem quase 70% dos leitos, tanto comuns quanto os de Unidade de Terapia Intensiva (UTI), ocupados. A informação consta no portal dedicado à Covid-19 do Governo do Estado e foi comentado pelo secretário de Estado da Saúde em uma entrevista coletiva realizada nesta sexta-feira (22).

De acordo com o portal, dos cerca de 250 leitos comuns na rede pública, apenas 31% está disponível. Já dos leitos de UTI, dos 100 existentes, 65 já estão sendo utilizados. Com isso, a triagem para a internação de pacientes com Covid-19 está mais rigorosa, segundo o secretário Fernando Máximo.

"Têm leitos disponíveis, poucos. O que está acontecendo é uma triagem rigorosa para que não seja internada uma pessoa sem necessidade, porque vai faltar para quem precisa. Mas estamos no limite. Não dá mais para as pessoas continuarem indo para academia, velório, futebol. As coisas não estão boas e infelizmente algumas pessoas não estão enxergando. Temos que nos unir senão a realidade vai virar um caos. Ainda temos leitos, mas eles estão se esgotando", explicou.
O secretário também citou os casos de pessoas fora do grupo de risco que morreram com a doença nas últimas semanas no estado.

"Como não tem medicamento específico, é uma doença nova, acaba sendo de certa forma uma loteria, tem gente nova que vai acabar falecendo. Tivemos uma idosa de 89 anos cheia de comorbidades que foi internada, passou pela UTI e ficou curada, enquanto pessoas aí de 45, 57 que morreram. O ideal é nos prevenirmos e sair na rua só se for extremamente necessário. Não tem remédio específico que combata o vírus, não tem tratamento específico", relatou.

Heuro de Porto Velho
 
O secretário também comentou sobre a construção do Hospital de Emergência e Urgência de Rondônia (Heuro) em Porto Velho e disse que não existe a possibilidade de utilizar o dinheiro destinado à construção da nova unidade de saúde para o combate ao coronavírus.

"Apesar de ter uma pandemia, as pessoas continuam caindo de moto, batendo a cabeça, tendo infarto. O projeto do Heuro não parou, continuaram trabalhando em paralelo com a pandemia. Agora no fim do mês vão apresentar um produto final para que a gente possa começar a construir. Esse hospital é um anseio da população há mais de 20 anos. Não dá para parar o estado por causa da pandemia. Claro que a gente está trabalhando para atender as pessoas que estão doentes, para que não morram, mas não pode parar o estado, para quando a pandemia acabar a gente não voltar a ter gente dormindo no chão do hospital", disse Fernando Máximo.
O Heuro será construído com dinheiro (R$ 50 milhões) doado pelo Tribunal de Contas do Estado e vai substituir o Hospital e Pronto Socorro João Paulo II.
 

Casos de Covid-19 em RO
 
O Estado chegou a 101 mortes na última quinta-feira (21), de acordo com boletim divulgado pela Sesau. Mais de 2,6 mil casos já foram registrados desde o início da pandemia.

Porto Velho é a cidade com maior número de casos confirmados (2.022) e também de óbitos (67). Em todo o estado, 862 pessoas já estão curadas.
 

Quer ficar conectado com o Rolnews em seu WhatsApp?
Entre agora em nosso grupo e fique bem informado.
Clique aqui para entrar no grupo.

MAIS NOTÍCIAS DE GERAL