Rolim de Moura - RO
00:00
Rondônia

Cidades obrigam infectados por Covid-19 a usar pulseiras

Fonte: AGENCIA BRASIL

10/04/2021 10h 19min

  • Compartilhe Essa notícia
  • Compartilhar no Facebook00
  • Compartilhar no Google Plus00
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
Cidades obrigam infectados por Covid-19 a usar pulseiras
Divulgação

A cidade de Apiacás, no interior do Mato Grosso, começou a marcar com pulseiras vermelhas as pessoas que testaram positivo para o coronavírus.

A lei que obriga o uso das pulseiras foi proposta pela prefeitura da cidade e aprovada pela Câmara de Vereadores. A medida já está em vigor.

Segundo o prefeito, a medida atende a um pedido feito pelos comerciantes da cidade, e o objetivo é fazer com que as pessoas que estão infectadas respeitem as medidas de isolamento social.

Quem desobedecer a regra ou retirar a pulseira está sujeito a uma multa de R$ 500. Em caso de reincidência, a multa sobe pra R$ 1 mil.

A prefeitura garante que vai ajudar as pessoas que estão com a pulseira a adquirir itens essenciais, como alimentação e produtos de higiene. As saídas só são autorizadas se a pessoa estiver se dirigindo a um serviço de saúde.

Mas a decisão gerou polêmica. Para o presidente da Comissão de Direitos Humanos da OAB de Mato Grosso, a lei é inconstitucional e fere a Declaração Universal dos Direitos Humanos.

Apiacás é uma cidade pequena – pouco mais de 10 mil habitantes – e, desde o começo da pandemia, registrou 1,4 mil casos da doença.

E ela não é a primeira cidade a adotar o método da pulseira para garantir o isolamento social. Em Nova Granada, cidade de pouco mais de 23 mil habitantes no interior de São Paulo, a regra também foi adotada há cerca de um mês.

A prefeita da cidade disse que o método está ajudando a educar, e duas pessoas foram flagradas na rua com as pulseiras vermelhas. Elas vão ter que pagar uma multa de R$ 300.

Desde o começo da pandemia, Nova Granada registrou pouco mais de 2 mil casos de coronavírus, e 48 pessoas morreram em função da doença. Quando a reportagem estava sendo fechada, havia 75 pessoas positivas com vírus ativo na cidade e, portanto, usando pulseiras.

A prefeitura não soube dizer se a política das pulseiras resultou em redução de novos casos da doença.

Quer ficar conectado com o Rolnews em seu WhatsApp?
Entre agora em nosso grupo e fique bem informado.
Clique aqui para entrar no grupo.

MAIS NOTÍCIAS DE POLÍTICA

CONTEÚDOS DIVERSOS