CERÂMICA UNIAOROLIM NET

ESPORTE

Tatame improvisado em área de casa foi escape para não deixar de treinar, diz sensei Bruna Vilela

Karateca desde os 5 anos, hoje aos 22, a sensei Bruna Vilela conta como foi a luta até conquistar a própria academia de karatê em Vilhena.

Postada em 10/10/2018 23:28hrs
Fonte: Do Globo Esporte

Tatame improvisado em área de casa foi escape para não deixar de treinar, diz sensei Bruna Vilela

Fidelidade, lealdade e respeito são algumas das características que a sensiei Bruna Vilela destaca no karatê. Ela tem 22 anos e comanda uma turma de 60 alunos na cidade de Vilhena.

Bruna, que nasceu e cresceu em Rolim de Moura, conta que iniciou no karatê quando tinha cinco anos. Ela diz que a luta sempre foi algo muito presente na família.

- O meu mestre é meu tio e padrinho, ele é irmão da minha mãe e quase toda minha família treinava. Comecei a treinar quando eu tinha 5 anos e nesses 17 anos de treinamento nunca parei. Há quatro anos e meio foi quando me tornei sensei.

Bruna Vilela  — Foto: Bruna Vilela / arquivo pessoal

Após a mãe de Bruna receber uma propósta, a família teve que se mudar para Vilhena e a karateca conta como fez para não deixar de treinar, mesmo com a nova rotina e novos ares.

- Eu tinha 17 anos quando minha mãe recebeu uma prospota para nos mudamos para Vilhena. Tudo era novo, mas eu não podia para de treinar, foi quando comecei dar aula em um projeto social.

Sensei Bruna, de Vilhena — Foto: Sensei Bruna

A sensei tentava conciliar o trabalho com as aulas no projeto. Bruna lembra que depois que recebeu um "presente" do padrinho e tio dela, foi o que a motivou abrir uma academia.

- Depois de dois anos da gente morando em Vilhena meu tio doou um tatame para mim. Foi quando aluguei uma casa maior e coloquei o tatame na area de casa. No ano passado eu mudei para um prédio comercial, foi quando surgiu de fato a minha academia aqui.

Bruna Vilela ao lado do tio e sensei  — Foto: Bruna Vilela / arquivo pessoal

Hoje, já estruturada na cidade que fica no Cone Sul do estado, a sensei revela que tem um novo projeto, mas sem deixar o karatê de lado.

- Hoje vivo de dar aula de karatê, tenho cerca de 60 alunos. Mas mesmo assim estou abrindo um projeto social com 20 vagas para crianças carentes que não têm condições de pagar mensalidade. Dessas vagas apenas duas foram preenchidas, mas estou esperando as 18 para compor a turma.

Dos 60 alunos que treinam com a sensei Bruna Vivela, 24 deles competirão na 8ª Copa Nakayama, terceira fase do estadual, que acontecerá nos dias 14 e 15 de outubro em Colorado do Oeste.

SAFIRA - NOTICIA RODAPESAFIRA - NOTICIA RODAPEGAZIN